Terra

2008 · Parlophone Music Portugal

O quarto álbum, Terra, com direcção musical de José Limón, reunindo o novo repertório que interpretara nas suas digressões mais recentes, com sucessos como Alfama e Rosa Branca e parcerias com Tito Paris, Concha Buika, Ivan Lins e Dominic Miller.

  • 1.
    Já Me Deixou
    3:49
    Letras

    Já Me Deixou

    (Artur Ribeiro / Max)

    A saudade andou comigo
    E através do som da minha voz
    No seu fado mais antigo
    Fez mil versos a falar de nós
    Troçou de mim à vontade
    Sem ouvir sequer os meus lamentos
    E por capricho ou maldade
    Correu comigo a cidade
    Até há poucos momentos

    Já me deixou
    Foi-se logo embora
    A saudade a quem chamei maldita
    Já nos meus olhos não chora
    Já nos meus sonhos não grita
    Já me deixou
    Foi-se logo embora
    Minha tristeza chegou ao fim
    Já me deixou mesmo agora
    Saíu pela porta fora
    Ao ver-te voltar p'ra mim

    Nem sempre a saudade é triste
    Nem sempre a saudade é pranto e dor
    Se em paga saudade existe
    A saudade não dói tanto amor
    Mas enquanto tu não vinhas
    Foi tão grande o sofrimento meu
    Pois não sabia que tinhas
    Em paga às saudades minhas
    Mais saudades do que eu

  • 1. Já Me Deixou

    Letras

  • 2.
    Minh'Alma
    4:03
    Letras

    Minh'Alma

    (Paulo de Carvalho)

    Alma ai! Minh'Alma
    Diz-me quem eu sou
    Alma ai! Minh'Alma
    Diz-me para onde vou

    Lisboa vem namorar-me lá vou eu
    Pelas ruas do passado a correr
    O meu fado é o futuro mas eu juro
    Meu amor
    Que namoro o meu passado
    Sem lhe dizer para onde vou

    Alma ai! Minh'Alma...
    Quando saio de ao pé de mim eu sou o mar
    Doutras terras, doutras gentes que não vi
    O meu canto é o meu sonho não morreu
    Meu amor
    Meu amor eu sou o povo
    Sou mais longe do que eu

  • 2. Minh'Alma

    Letras

  • 3.
    Rosa Branca
    2:46
    Letras

    Rosa Branca

    (José de Jesus Guimarães / Resende Dias)

    De rosa ao peito na roda
    Eu bailei com quem calhou
    Tantas voltas dei bailando
    Que a rosa se desfolhou

    Quem tem, quem tem
    Amor a seu jeito
    Colha a rosa branca
    Ponha a rosa ao peito

    Ó roseira, roseirinha
    Roseira do meu jardim
    Se de rosas gostas tanto
    Porque não gostas de mim?

  • 3. Rosa Branca

    Letras

  • 4.
    Recurso
    3:06
    Letras

    Recurso

    (David Mourão-Ferreira / Tiago Machado)

    Apenas quando as lágrimas me dão
    um sentido mais fundo ao teu segredo
    É que eu me sinto puro e me concedo
    A graça de escutar o coração.

    Logo a seguir (porquê?), vem a suspeita
    de que em nós os dois tudo é premeditado.
    E as lágrimas então seguem o fado
    de tudo quanto o nosso amor rejeita.

    Não mais queremos saber do coração,
    nem nos importa o que ele nos concede,
    regressando, febris, àquela sede
    onde só vale o que os sentidos dão.

  • 4. Recurso

    Letras

  • 5.
    Beijo De Saudade
    4:17
    Letras

    Beijo De Saudade

    (B.leza)

    Ondas sagradas do Tejo
    Deixa-me beijar as tuas águas
    Deixa-me dar-te um beijo
    Um beijo de mágoa
    Um beijo de saudade
    Pra levar ao mar e o mar à minha terra

    Nas tuas ondas cristalinas
    Deixa-me dar-te um beijo
    Na tua boca de menina
    Deixa-me dar-te um beijo, óh Tejo
    Um beijo de mágoa
    Um beijo de saudade
    Pra levar ao mar e o mar à minha terra

    Minha terra é aquela pequenina
    É Cabo Verde terra minha
    Aquela que no mar parece criança
    É filha do oceano
    É filha do céu
    Terra da minha mãe
    Terra dos meus amores

    Bêjo Di Sodade

    Onda sagrada di Tejo
    Dixám' bejábu bô água
    Dixám' dábu um beijo
    Um bêjo di mágoa
    Um bêjo di sodadi
    Pá bô levá mar, pá mar leval' nha terra
     
    Na bôs onda cristalina
    Dixám' dábu um beijo
    Na bô boca di minina
    Dixám' dábu um beijo óh Tejo
    Um bêjo di mágoa
    Um bêjo di sodadi
    Pá bô levá mar, pá mar leval' nha terra

    Nha terra ê quêl piquinino
    Ê Cabo Verde, quêl quê di meu
    Terra que na mar parcê minino
    Ê fidjo d'oceano
    Ê fidjo di céu
    Terra di nha mãe
    Terra di nha cretcheu

  • 5. Beijo De Saudade

    Letras

  • 6.
    Vozes Do Mar
    3:55
    Letras

    Vozes Do Mar

    (Florbela Espanca/ Diogo Clemente)

    Quando o sol vai caindo sobre as águas,
    Num nervoso delíquio de oiro intenso,
    Donde vem essa voz cheia de mágoa,
    Com que falas à terra oh mar imenso?

    Tu falas de festins e cavalgadas?
    De cavaleiros errantes ao luar,
    Falas de caravelas encantadas
    Que dormem em teu seio a soluçar?

    Tens cantos de epopeias? Tens anseios 
    De amarguras? Tu tens também receios
    Oh mar cheio de esp'rança e majestade

    Donde vem essa voz oh mar amigo?
    Talvez a voz de um Portugal antigo
    Chamando por Camões numa saudade.

  • 6. Vozes Do Mar

    Letras

  • 7.
    Fronteira
    2:48
    Letras

    Fronteira

    (Pedro Homem de Mello / Mário Pacheco)

    Ó caminhos da fronteira
    Porque me haveis de guardar
    Além são terrras de Espanha
    Quem nas descobre é o luar
    Ó caminhos da fronteira
    Porque me haveis de guardar!

    Ó águas do Rio Minho
    Porque me haveis de chorar?
    Todos os moços da raia
    Têm alma para cantar
    Ó águas do Rio Minho
    Porque me haveis de chorar?

    Muralhas do mar formoso
    Alevantem-se a meu lado
    Já vejo o mar tenebroso
    Por trás do mar azulado.
    Muralhas do mar formoso
    Alevantem-se a meu lado!

    Rio Minho é Rio Norte
    Rio Lima é Rio Sul
    Depois o mar continua
    Aquela fronteira azul
    Rio Minho é Rio Norte
    Rio Lima é Rio Sul!

    E tudo é mar tenebroso
    Para além do Rio Minho
    Espanha que o luar banha
    E que em meu sonho adivinho.

    Rio Minho é Rio Norte
    Rio Lima é rio Sul
    Depois o mar continua
    Aqulea fronteira azul
    Rio Minho é Rio Norte
    Rio Lima é Rio Sul.!

  • 7. Fronteira

    Letras

  • 8.
    Alfama
    4:02
    Letras

    Alfama

    (Ary dos Santos / Alain Oulman)

    Quando Lisboa anoitece
    Como veleiro sem vela
    Alfama toda parece 
    Uma casa sem janelas
    Aonde o povo arrefece

    É numa água furtada
    Num espaço roubado à mágoa
    Que Alfama fica fechada
    Em quatro paredes de água
    Quatro paredes de pranto

    Quatro muros de ansiedade
    Que à noite fazem o canto
    Que se acende na cidade
    Fechada em seu desencanto
    Alfama cheira a saudade

    Alfama não cheira a fado
    Cheira a povo, a solidão
    Cheira a silencio magoado
    Sabe a tristeza com pão

    Alfama não cheira a fado
    Mas não tem outra canção
    Alfama não cheira a fado
    Mas não tem outra canção

  • 8. Alfama

    Letras

  • 9.
    Tasco Da Mouraria
    4:30
    Letras

    Tasco Da Mouraria

    (Paulo Abreu Lima / Rui Veloso)

    Cresce a noite pelas ruas de Lisboa
    E os meninos como eu foram dormir
    Só eu fico com o sonho que já voa
    Nesta estranha minha forma de sentir.

    Deixo o quarto com passinhos de menina
    Num silêncio que respeita o mais sagrado
    Quando o brilho de meus olhos na cortina
    Se deleitam ao ouvir cantar o fado.

    Meu amor, vai-te deitar, já é  tarde
    Diz meu pai sempre que vem perto de mim
    Nesse misto de orgulho e de saudade
    De quem sente um novo amor no meu jardim.

    E adormeço nos seus braços de guitarra
    Doce embalo que renasce a cada dia
    Esse sonho de cantar a madrugada
    Que foi berço num tasco da Mouraria.

  • 9. Tasco Da Mouraria

    Letras

  • 10.
    Alma De Vento
    4:01
    Letras

    Alma De Vento

    (Diogo Clemente / Dominic Miller)

    Traz o vento as horas
    Em que o amor em mim refez,
    Entre o medo e as demoras,
    Os silêncios sem "porquês".

    Vão no vento os medos
    Que soubeste à minha voz.
    Guardo ao vento os meus segredos
    E a razão de sermos nós.

    Meu amor, 
    Às ruas da cidade
    Canto o amor, 
    Na voz de uma saudade,
    Que o amor 
    È um fado sem idade.

    Vem no vento a chuva
    Que se entrega ao meu olhar
    Quando a alma em mim se curva
    E teima em não querer quebrar.

    E quando o tempo levar o sal do pranto
    Apagando a dor do fim,
    Escondo-me num fado e canto
    Como canta o vento em mim.

    Meu amor,
    Às ruas da cidade
    Canto amor 
    na voz de uma saudade
    Quando o amor
    É mais que uma ansiedade,
    É a dor
    Dum fado sem idade.

  • 10. Alma De Vento

    Letras

  • 11.
    Se Eu Mandasse Nas Palavras
    3:21
    Letras

    Se Eu Mandasse Nas Palavras

    (Fernando Tordo)

    Como se eu mandasse nas palavras
    Pediram-me que a dor fosse um sorriso
    Como se eu mandasse nas palavras
    Disseram-me ser louca e ser juízo

    Como se eu mandasse nas palavras
    Falaram-me que a água era o deserto
    Como se eu mandasse nas palavras
    Disseram ser o mesmo o longe e o perto

    Palavras não são só aquilo que eu oiço
    Não peçam que eu lhes ganhe ou não as sinta
    Palavras são demais para o que posso
    Não queiram que eu as vença ou que lhes minta

    Como se eu mandasse nas palavras
    Quiseram que trocasse Sol por Lua
    Como se eu mandasse nas palavras
    Disseram-me que amar-te era ser tua

    Como se eu mandasse nas palavras
    Quiseram que emendasse o que está escrito
    Para quê? Se eu mandasse nas palavras
    Daria agora o dito por não dito.

    Palavras não são só aquilo que oiço
    Não peçam que eu lhes ganhe ou que não as sinta
    Palavras são demais para o que posso
    Não queiram que eu as vença ou que lhe minta.

  • 11. Se Eu Mandasse Nas Palavras

    Letras

  • 12.
    As Guitarras
    4:16
    Letras

    As Guitarras

    (Ivan Lins)

    As guitarras são um dom de Deus
    As guitarras dão um som à vida
    E as canções que encantam todos os corações
    ficam mais bonitas.

    As guitarras são amores meus
    Sons talhados como pedras finas
    E as canções que aquecem todas as paixões
    Ficam mais bonitas

    Meu amor
    Vem sonhar
    Que ao som das guitarras
    Esquecem-se as guerras, 
    Vai-se a dor.

    Meu amor
    Vem cantar
    Junto com as guitarras

  • 12. As Guitarras

    Letras

  • 13.
    Pequenas Verdades
    3:07
    Letras

    Pequenas Verdades

    (Javier Límon)

    No meu deserto de água
    Não havia luz para te olhar
    Tive que roubar a lua
    Para te poder iluminar

    Quando iluminei o teu rosto
    Fez-se dia no meu corpo
    Enquanto eu te iluminava
    Minha alma nascia de novo

    São as pequenas verdades
    As que guiam o meu caminho
    Verdades brancas 
    Como a manhã
    Que abre a janela do nosso destino
    Como o teu olhar
    Quando tu me olhas
    Como a tua lembrança 
    Depois de partires

    É verdade que a sombra do ar me queima
    E é verdade que sem ti eu morro de pena
    Sim é verdade que sem ti eu morro de pena

    Misteriosa era a tua boca
    Misterioso o meu lamento
    Mas não sei se o nosso amor de primavera
    Foi mentira ou uma paixão verdadeira

    Quando a solidão regresse
    Cega de amor irei até à morte
    As verdades só existem pelos recantos da mente
    Essa pequenas verdades que guiaram o meu caminho

  • 13. Pequenas Verdades

    Letras

  • 14.
    Morada Aberta
    3:59
    Letras

    Morada Aberta

    (Carlos Tê / Rui Veloso)

    Diz-me o rio que conheço
    Como não conheço a mim
    Quanta mágoa vai correr
    Até o desamor ter fim

    Tu nem me ouves lanceiro
    Por entre vales e montes
    Matando a sede ao salgueiro
    Lavando a alma das fontes

    Vi o meu amor partir
    Num comboio de vaidades
    Foi à procura de mundo
    No carrossel das cidades

    Onde o viver é folgado
    E dizem, não há solidão
    Mas eu no meu descampado
    Não tenho essa ilusão

    Se eu fosse nuvem branca
    E não um farrapo de gente
    Vertia-me aguaceiro
    Dentro da tua corrente

    E assim corria sem dor
    Sem de mim querer saber
    E como tu nesse rumor
    Amava sem me prender

    Vai rio, que se faz tarde
    Para chegares a parte incerta
    Espalha por esses montes
    Que tenho morada aberta

  • 14. Morada Aberta

    Letras

Ficha Técnica

Concha Buika (voz em "Pequenas Verdades")
Tito Paris (voz em "Beijo de Saudade")
Chucho Valdés (piano em "Fronteira")
Dominic Miller (guitarra em "Minh'Alma", "Vozes No Mar" e  "Alma de Vento")
Ivan Lins (piano em "As Guitarras")
Horacio "El Negro" Hernández (bateria em "Beijo de Saudade", "As Guitarras" e "Tasco da Mouraria")
Ivan "Melon" Lewis (piano em "Tasco da Mouraria" e "Morada Aberta")

Guitarra Flamenca: Javier Limón
Percussões: Piraña
Contrabaixo: Dany Noel
Trompete: Carlos Sarduy
Baixo Acústico: Marino de Freitas
Viola de Fado e Guitarras Acústicas: Diogo Clemente
Guitarra Portuguesa: Bernardo Couto

Gravado no Estúdio Casa Limon por: Melissa Nanni

Misturado no PKO Estudios por: Oscar Clavel

Masterizado nos Estúdios Bahía por: Oscar Clavel

Pré-Produção: gravado no Estúdios Vale de Lobos por Rui Guerreiro

Produzido por Javier Limón